O que significa depressão, causas, sintomas e tratamento da depressão, identificando problemas associados, e o modo de a prevenir, com muita informação útil para quem apresenta sinais de depressão, assim como para familiares e amigos.


Como combater a depressão

De modo a poder combater a depressão, deixamos alguns conselhos

Envolva-se com as pessoas:
  • Telefone a um amigo, ou a alguém com quem queira estabelecer laços mais fortes e converse com ele um bocadinho, ou então combine um café;
  • Telefone ou escreva a um familiar ou velho amigo com quem não esteja muitas vezes;
  • Vá para sítios onde as pessoas existam pessoas, como jogos desportivos, actividades de grupos - teatro, coro, associações, juventudes políticas, religiosas, vá à piscina ou até à mercearia;
  •  Proponha-se para voluntariado;
  • Encontre alguém a quem possa fazer um favor, como por exemplo um vizinho idoso que precise de compras ou um amigo que lhe tenha pedido uns apontamentos;
  • Peça um favor a alguém: é tão bom receber favores como fazê-los aos outros!
  • Expresse a sua zanga, mas de uma forma não-ameaçadora para os outros. Eles vão escutá-lo melhor, e provavelmente vai sentir-se mais calmo com isso.

Mime-se:
  • Oiça o seu CD preferido ou relê-ia o seu livro favorito;
  • Coma a sua comida favorita;
  • Vá fazer uma massagem ou sauna;
  • Vá ver um filme;
  • Compre alguma coisa que deseje;
  • Dé um passeio fora do seu ambiente diário.

Cuide do seu corpo:
  • Tente comer mais fruta e vegetais e menos farináceos;
  • Reduza o álcool e cannabis. São substâncias com efeito depressor a curto prazo, aumentando a intensidade dos seus sintomas;
  • Faça exercício físico, de preferência diário. Sabemos que é a última coisa que lhe apetece fazer, mas é das mais eficazes;
  • Durma e descanse mas não exagere. 6 a 8 horas por dia é suficiente;
  • Evite dormir durante o dia. Quanto mais o seu padrão de sono fica desregulado, mais deprimido se sente;
  • Não fique acordado na cama mais de 20 minutos. Se vê que não está a conseguir adormecer saia do quarto e faça qualquer coisa que o relaxe: veja televisão, lê-ia (um livro que já tenha lido), medite… mesmo que não tenha sono, está a descansar. E na manhã seguinte acorde à hora habitual, para facilitar o trabalho de dormir bem na próxima noite;
  • É provável que não lhe apeteça ter relações sexuais. Não precisa de “fazer fretes”. Explique isso ao seu parceiro, e faça-lhe ver que continua interessado nele e em partilhar outras coisas com ele até se sentir melhor. Normalmente os outros aceitam melhor os nossos comportamentos quando percebem que não são rejeitantes mas fruto de dificuldades nossas no presente.

Dê uma vista de olhos ao lado positivo das coisas:
  • Faça uma lista das coisas boas que lhe acontecem na sua vida;
  • Faça uma lista das suas qualidades;
  • Faça a si próprio afirmações racionais, encorajadoras (que cortem com o padrão habitual de irracionalidades e desencorajamentos), por ex: “hoje estou em baixo, mas sei, de experiência própria que vai passar e que me hei-de sentir bem novamente”“todos os seres humanos têm sentimentos como estes; não tenho de fazer com que uma coisa temporária arruíne uma série de outras coisas que já consegui ou que quero vir a atingir: vou esperar”;
  • Tente identificar exactamente qual é o problema e pense em ideias para lidar (lidar é diferente de solucionar!) com ele;
  • Estruture o seu dia. Determine pequenos objectivos diários e mantenha-os;
  • Planeie o divertimento e prazer de cada dia. De preferência actividades em que tenha de estar assim mesmo, activo! (em que gaste alguma energia).

Acalme-se:
  • Utilize as suas técnicas de relaxamento e aprecie as sensações que vão ocorrendo;
  • Fantasie sobre alguns acontecimentos do passado ou que espera no futuro;
  • Aja como se se sentisse bem (não-deprimido), como ouvir sorri, coloque energia na forma como anda, ponha uma expressão interessada e alerta, fale alegremente com as pessoas que encontra, assobie, enfim, finga. É muito frequente que, ao agirmos como se nos sentíssemos bem, começamos, de facto, a sentirmo-nos bem;
  • Permita-se sentir o que sente. Se precisar de chorar, chore. Se está zangado, encontre formas seguras de expressar a zanga.

Se depois de experimentar uma série de alternativas de solução continuar a sentir-se deprimido, procure ajuda junto de um profissional. É sempre mais difícil combater a depressão sozinho, sobretudo se, ao estarmos deprimidos, já nos estamos a sentir sós e sem “soluções”. As sessões com um técnico de saúde mental vão certamente ajudá-lo a lidar com a sua depressão.

Um último comentário:
A ajuda existe e sob várias formas, com muito sucesso. Tudo o que é preciso é dar o primeiro passo nesse sentido uma vez que cada um de nós, adultos, somos os únicos responsáveis pela nossa saúde e bem-estar. Ler sobre depressão não nos faz sentir melhor. É preciso agir.
Se um caminho não está a funcionar, tente mais um pouco. Não é de um momento para o outro que conseguimos mudar padrões de funcionamento, depois de meses ou anos habituados a pensar, sentir e agir de forma deprimida. Se depois de tentar mais uma vez esse caminho, continuar sem sentir resultados, procure uma nova alternativa de solução.

Índice dos artigos relativos a Depressão
POSTAGENS POPULARES

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL