O que significa depressão, causas, sintomas e tratamento da depressão, identificando problemas associados, e o modo de a prevenir.


Identificação da depressão

Para afirmarmos que o paciente está deprimido temos que afirmar que ele sente-se  triste a maior parte do dia quase todos os dias, não tem tanto prazer ou interesse pelas atividades que  apreciava, não consegue ficar parado e pelo contrário movimenta-se mais lentamente que o habitual. Passa a ter sentimentos inapropriados de desesperança desprezando-se como pessoa e até mesmo se culpando pela doença ou pelo problema dos outros, sentindo-se um peso morto na família. Com isso, apesar de ser uma doença  potencialmente fatal, surgem pensamentos de suicídio. Esse quadro deve durar pelo menos duas semanas para que possamos dizer que o paciente está deprimido.

O médico deve avaliar os sintomas de depressão

Muitos pacientes apresentam-se nos cuidados primários de saúde com queixas vagas, incluindo insónia, incapacidade de lidar com situações estressantes, e preocupações sobre o facto de pensar que está deprimido. O médico deve avaliar se o paciente está enfrentando esses sintomas devido a um evento traumático da sua vida ou se o evento de vida foi agravado devido a uma condição de saúde mental pré-existente. Muitas vezes, sintomas somáticos, tais como dificuldade em dormir podem mascarar a depressão subjacente.

Os pacientes de culturas não-ocidentais podem sentir mais o estigma de um diagnóstico de depressão do que pessoas de culturas ocidentais, sendo especialmente importante para o prestador de cuidados primários, reconhecer os sintomas que podem ser uma manifestação de depressão. Um diagnóstico preciso é essencial para otimizar o tratamento e gestão de uma possivel depressão. É imperativo que o processo de identificação, diagnóstico e tratamento da depressão ocorram com a consideração das influências culturais, sociais e ambientais que afetam o paciente.


ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL